01/08/17 | 9:28
Plano Diretor de Requalificação do Centro é premiado como ‘Boa Prática Urbana’ em fórum internacional

Considerado um dos projetos inspiradores apresentados no Fórum Internacional HOJE – Implementando Cidades Sustentáveis, realizado em Pernambuco, o Plano Diretor de Reabilitação do Centro de Manaus (2015/2016) foi premiado como “Boas Práticas Urbanas no Brasil”.

Foram selecionadas, por meio de chamada pública, quatro iniciativas dos Estados de Pernambuco, Amazonas e São Paulo, que apresentaram, de diferentes maneiras e distintas regiões, a transformação urbana que está acontecendo no País.

O Plano Diretor do Centro é resultado direto das políticas urbanas da Prefeitura de Manaus, sendo parte do Programa de Desenvolvimento Urbano e Inclusão Socioambiental de Manaus (Prourbis), com financiamento feito pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

“O escritório que realizou o projeto o inscreveu para o fórum internacional, foi selecionado e premiado como boa prática nacional. É uma forma de valorizar as ações que a prefeitura e suas secretarias estão desenvolvendo para o Centro de Manaus”, explica o diretor de Planejamento Urbano, arquiteto Laurent Troost. O projeto de Manaus contou com orientação e fiscalização do Prourbis, Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) e Subsecretaria do Centro Histórico (Subsemch).

O projeto é um estudo analítico – físico, histórico, territorial e socioeconômico – que permite dotar Manaus de informações relevantes e de qualidade sobre questões urbanas, ambientais, sociais e de serviços para novas abordagens na área, tendo uma consultoria direta do BID. O documento também foi fundamentado em uma série de workshops e audiências realizadas com agentes e o público em geral.

“A ideia é de criar uma abertura do Centro para a população e o rio, incluindo uma grande orla pública, e de recriar no bairro a valorização das pessoas, moradores e pedestres, e suas condições de urbanidade”, explica Troost.

O Plano

 O Plano Diretor de Requalificação do Centro Histórico de Manaus abrange os bairros de Aparecida, Presidente Vargas, Praça 14 e o próprio Centro, na zona Sul. Durante o fórum internacional, o projeto foi apresentado pela arquiteta e urbanista Rebeca Vieira de Melo, que destacou o rápido processo de urbanização pelo qual vem passando a cidade.

“Nos últimos 15 anos, a mancha urbana de Manaus praticamente dobrou. Nesse processo, o centro vinha perdendo qualidade espacial para outras áreas da cidade. Nós queríamos reverter isso”, afirmou.

Por ser heterogênea, a área demandou operações urbanas distintas, estabelecidas após um diagnóstico temático detalhado. Entre os pontos levantados pelo plano, está uma abordagem territorial – que propõe três escalas de intervenção (municipal, centro e setores) -, um plano econômico-financeiro e a preocupação com o meio ambiente. “Através do componente ambiental, a gente conseguiu não só a requalificação do Centro, mas abri-lo para as pessoas”, resumiu.