12/08/19 | 14:26
Ponta Negra terá estação de ônibus de quase 100 metros quadrados

Um dos cartões-postais de Manaus e parques públicos mais movimentados da cidade, o Complexo Turístico Ponta Negra, na zona Oeste, vai ganhar a primeira estação do transporte coletivo adaptada à alta demanda de público do local. Com 96 metros quadrados, moderno e com soluções arquitetônicas especiais para minimizar a sensação térmica e proporcionar mais conforto aos usuários, o novo mobiliário urbano segue a arquitetura do parque e do Centro de Atendimento do Turista (CAT), também em construção.

Devido à grande demanda de usuários especificamente naquele ponto, o abrigo ganhou moldes de estação, com ampliação em quase oito vezes mais em relação aos pontos de ônibus tradicionais, que possuem apenas 12 metros quadrados. Para o redimensionamento da estação foi considerado que, além de ser um ponto turístico, a Ponta Negra recebe alguns dos maiores eventos públicos da cidade, como o Festival Folclórico do Amazonas, o Réveillon e o Boi Manaus.

Para bloquear a sensação de calor, materiais nobres são utilizados na obra. A estrutura conta com revestimentos em porcelanato, aço inox escovado, madeira, pedra portuguesa e ACM (Alumínio Aplicado) no forro e na cobertura. “A ideia foi dotar o espaço de uma estrutura única, inexistente em qualquer outro ponto da cidade. E, ao mesmo tempo, proporcionar ao usuário do transporte coletivo, um espaço verdadeiramente confortável”, explicou o diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Cláudio Guenka.

A estação tem valor de R$ 207 mil. Destes, R$ 64 mil são provenientes de custo de obras – valor que inclui tapumes, placa, entradas de energia elétrica e água provisórias, locação de contêiner e banheiros químicos, além da mão de obra de engenheiro civil, almoxarife, encarregado, entre outros.

Dentro das estratégias de fomento ao turismo na capital, promovidas pela Prefeitura de Manaus, o Complexo Turístico Ponta Negra, zona Oeste, vai ganhar um Centro de Atendimento ao Turista (CAT) para facilitar o acesso às informações e atrações da capital e do Estado. O projeto tem desenho arquitetônico minimalista, de inspirações regionais e faz parte da requalificação permanente do complexo implementada pelo prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto.

Elaborado e executado pelo Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), a proposta arquitetônica do projeto trabalha com o conceito de transparência e integração com a paisagem do entorno da orla do rio Negro. O volume central é todo em vidro, onde acontecerá o atendimento ao turista e visitante. Como uma boutique ao ar livre, a construção tem cobertura reta e com largos beirais no volume todo em vidro incolor, que permite uma vista integrada e sem intervenção.

Banners fixados no teto e no piso vão mostrar as principais atrações turísticas e naturais da capital e do Estado. A estrutura também terá um longo balcão com computadores embutidos para consultas.

“O projeto apresenta uma leitura regional contemporânea e pronta para aumentar e ampliar o acesso às informações e atrações a turistas e visitantes”, destaca o diretor de Planejamento Urbano (DPLA) do Implurb, arquiteto Laurent Troost.

Ainda segundo o arquiteto, o volume do projeto é inspirado nas clássicas e icônicas palafitas sendo um pouco elevado do solo, como se estivesse levitando. Uma calçada em curva dará acesso ao CAT, além de uma rampa, que cerca o centro. Barras de aço compõem a fachada, dando alusão à trama de madeira das ocas cobertas de palha.

Melhorias

Juntamente ao CAT, o Complexo Turístico Ponta Negra também ganha uma nova parada de ônibus, ampliando a oferta e conforto para o transporte público num dos pontos turísticos mais emblemáticos e visitados de Manaus.

“São melhorias necessárias e que vêm para dar ainda mais conforto aos frequentadores da Ponta Negra, assim como segurança. O complexo hoje é um dos principais pontos turísticos e merece todo o cuidado e atenção. Essa é a determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto”, reforça o diretor-presidente do Implurb, engenheiro Claudio Guenka.

Para o diretor de Turismo da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), o equipamento turístico, como é um centro de atendimento ao turista, será extremamente bem-vindo ao complexo da Ponta Negra. “O local é um catalizador de turistas, de visitantes, que não só servirá para o turista que nos visita, como também para o próprio manauara que queira tirar alguma dúvida sobre a cidade. E nada mais justo que nesses 350 anos de Manaus, termos lá na praia da Ponta Negra um equipamento desse porte”, ressaltou.